quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

nuvens, seus destinos hás; eu encerrei-os das plumas,
mesmo nem delas contam essas carícias ternas das águas
as costuras nos cílios, embora colchas das camas, trançam asas urbanas férreas e eternas, do lá fora...
tem-se tido insônias donde constelada solitude longa em empíreo escuro, e ando
qual inenxergáveis sombras por esparsos chãos inconstantes dos trens
de cada vagão são finas lâminas coagulando às mãos os bastões de não cair
não me deixarei de mover para a coisa alguma, parece,
e minhas vidas e o suma para nada.

Eduardo M.P. Félix

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Desfiguram-me, e é estar tantinho à fronteira do meu vazio
Tornam-me a escadaria da rodoviária, e os passos nos vãos descontínuos
Súbito são sonhos desse encontro;
eu fitava a aurora, corava os galhos das árvores afastadas,
A tua testa de rubra alegria a seria cerrando, se fosse...
E súbito, o baço vidro de um veículo se acercaria na chuva fugindo.
Vejo-me, recosto nele. Eu sonava lá o breu da avenida;              
a rota, verde-branco lusco das casas, a cidade ondeava
pelas rodas esborrachadas, arlequins em cuidados, nas ruas...
As sujeiras tanto belas ao mesmo tempo
A segurança tão ansiada daquelas pessoas...
As varandas estão rumas baixas de listras sempre,

Agacho; a bravosidade de carros dos homens suscitam os ruídos do oceano da enseada que não há.
Nalguma encosta da pista perto,
só penduram os cílios os seus barulhos de luzes...
Há saudades de libertá-los


Eduardo M.P. Félix

domingo, 2 de fevereiro de 2014

sininhos

Os sinos que pra baixo se alinham por frágil corda
do conjunto têm a amena e inapreensiva vista de pontilhos sobre plano
Esplendentes, também, sob a grade
em cuja malha e textura de teto a teto o corte do sol alisava
como estatelado pêndulo indo repousando o refletir na trama lucilante
E qual ela não atrás deles,
se fundiam a ângulo só.
Eram esquartejarem por si a si lateralidade
que perdia o ar todo por entre as suas distâncias
a luz contidamente claríssima, das cores alvejava descontinuidade
desembainhada, por linha que estava.
Solitária a totalidade nos arredores como chapada uma geometria
Pronta apenas não tresmalhada em voltas
no espaço de algum outro olhar.

Eduardo M.P. Félix