terça-feira, 16 de abril de 2013

Ao menos, das nossas ruindades, há um transbordar além, das poucas ganas positivas do mundo: é a produção inexorável, que não faz destrutível o humano a si mesmo. Há uma assim, ao menos.